Logo Clickideia
Busca Conteúdos
Cadastre-se
MAT

Como surgiram os números negativos?


Publicada em: 09/01/2012

Os números negativos aparecem em nosso cotidiano com tanta frequência que nem percebemos: a queda da bolsa, temperaturas negativas, saldo devedor, carga positiva, carga negativa etc. Mas, você sabia que nem sempre foi assim?


Na época do Renascimento, os matemáticos já usavam os algarismos hindu-arábicos para representar os números. Porém, começaram a se deparar com equações cuja solução não podia ser expressa de forma muito clara - por exemplo: x + 2 = 0. Nós sabemos que o valor de x que satisfaz essa igualdade é –2, mas nem sempre foi simples assim.

A solução para tal questão veio com os comerciantes da época. Suponha que um vendedor tivesse em seu armazém duas sacas de trigo com 15 kg cada. Se esse comerciante vendesse num dia 8 kg de trigo, ele escrevia o número 8 com um traço (semelhante ao atual sinal de menos) na frente para não se esquecer de que no saco faltavam 8 kg de trigo.


Mas, se ele resolvesse despejar no outro saco os 7 kg que restaram, escrevia o número 7 com dois traços cruzados (semelhante ao atual sinal de adição) na frente, para se lembrar de que no saco havia 7 kg a mais de trigo que a quantidade inicial.

Com essa nova notação, os matemáticos poderiam não somente indicar as quantidades, mas também, representar o ganho ou a perda dessas quantidades através de números com sinal positivo (+) ou negativo (-).

Imagem
Termômetro marcando uma temperatura abaixo de zero

Os números negativos aparecem em nosso cotidiano com tanta frequência que nem percebemos: a queda da bolsa, temperaturas negativas, saldo devedor, carga positiva, carga negativa etc. Mas, você sabia que nem sempre foi assim?


Imagem
A dificuldade de representar quantidades negativas

Na época do Renascimento, os matemáticos já usavam os algarismos hindu-arábicos para representar os números. Porém, começaram a se deparar com equações cuja solução não podia ser expressa de forma muito clara - por exemplo: x + 2 = 0. Nós sabemos que o valor de x que satisfaz essa igualdade é –2, mas nem sempre foi simples assim.

A solução para tal questão veio com os comerciantes da época. Suponha que um vendedor tivesse em seu armazém duas sacas de trigo com 15 kg cada. Se esse comerciante vendesse num dia 8 kg de trigo, ele escrevia o número 8 com um traço (semelhante ao atual sinal de menos) na frente para não se esquecer de que no saco faltavam 8 kg de trigo.


Imagem
Os comerciantes escreviam o símbolo de menos para representar que haviam retirado uma quantidade da saca

Mas, se ele resolvesse despejar no outro saco os 7 kg que restaram, escrevia o número 7 com dois traços cruzados (semelhante ao atual sinal de adição) na frente, para se lembrar de que no saco havia 7 kg a mais de trigo que a quantidade inicial.

Com essa nova notação, os matemáticos poderiam não somente indicar as quantidades, mas também, representar o ganho ou a perda dessas quantidades através de números com sinal positivo (+) ou negativo (-).